domingo, 21 de janeiro de 2018

Humilhação e vingança inaceitáveis

Devo estar em uma fase muito sensível, mas, não vi nenhuma graça em a polícia exibir o prisioneiro Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, com algemas e os pés acorrentados. Por mais criminoso que Cabral o seja, e ele o é, não creio que o papel da polícia seja humilhar as pessoas. Hão e dizer: “...ao roubar tanto dinheiro público, ele submeteu inúmeras pessoas à humilhação...” Não deixa de ser verdade, também. Condutas criminosas, no entanto, devem ser dos criminosos. Para punir, o Estado não precisa, também, ser criminoso e humilhar criminosos. E o que penso e nem sei se agradarei a muito dos meus leitores e leitoras. Mas, é o que penso!

Antigamente #foratemer, hojemente #temergolpista!


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

sábado, 20 de janeiro de 2018

Quando os serviços merecem elogios

Tenho de registrar a minha surpresa com o excelente serviço prestado no Hospital Beneficência Portuguesa. Poucas vezes se é tão bem-atendido. Espero, sinceramente, que não tenha sido um daqueles “lances de sorte”. O certo é que, ao precisar dos serviços, fomos conduzidos de uma clínica a outra por pessoas que demonstravam uma boa-vontade que jamais vi em Manaus. Por isso merece registro. E que não seja um caso isolado, mas, uma mudança organizacional capaz de transformar o cenário da prestação de serviços hospitalares em Manaus.

Antigamente #foratemer, hojemente #temergolpista!


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Tucanaram o lavador de carros

O verbo tucanar, ao que me consta, foi criado pelo colunista José Simão, para se referir a tudo que pode ser dito, digamos, de um “jeito mais tucano de ser”. O mercado descobriu que pode tucanar muita coisa para cobrar mais caro e passou a usar a palavra “gourmet” em tudo o que se quer criar um “diferencial de mercado”. Pois não é que a moda chegou às profissões mais simples? Repaginado para este novo olhar para e sobre o mercado, o lavador de carros passou a ser o higienizador veicular. Se o mercadinho ao lado da sua casa ainda não virou empório, pode esperar: em breve, é possível que haja novidade. Convenhamos, é muito mais chique entregar o carro ao higienizador veicular que ao lavador de carros. Tucanemos a vida! É uma forma de torna-la melhor de se viver.

Antigamente #foratemer, hojemente #temergolpista!


Visite também o Blog de Educação do professor Gilson Monteiro e o Blog Gilson Monteiro Em Toques. Ou encontre-me no www.linkedin.com e no www.facebook.com/GilsonMonteiro.